terça-feira, 2 de junho de 2015

LAÇOS DE CASAMENTO - AMOSTRA

Tenho falado muito no meu livro LAÇOS DE CASAMENTO e muitos perguntam sobre o que ele é. Digo a sinopse e muita gente se interessa em ler. Para aqueles que se interessaram, estou enviando o 1 capítulo do livro. Espero q gostem!!!

Capítulo 1

Era mais um sábado tedioso na vida do jovem Eduardo. Tudo graças a sua obrigatória presença em um casamento. Um dos inúmeros que tinha comparecido naquele ano.
Apesar daquele dia do mês do Natal estar nublado, com nuvens negras no céu prontas a qualquer momento para derramar águas pela Terra, a cerimônia matrimonial acontecia na Paróquia Santa Ida de Loyola, em Lorena – cidade interiorana paulista onde o entediado garoto vivia. Lá, o seu primo de quarto grau, um dono de uma rede de Lan House e uma bela moça intelectual estavam juntando os trapinhos.
A grande maioria das igrejas católicas são enormes em tamanho e comprimento. E aquela era uma delas. Mesmo assim, seus inúmeros bancos de madeira estavam ocupados e o espaço em suas laterais estava tomados de pessoas de pé, que tentavam assistir ao casamento. O acúmulo de muitos indivíduos no mesmo lugar deixava aquele ambiente abafado, apesar de todas as portas e janelas estarem abertas.
Naquele momento da cerimônia, o padre pedia ao noivo para repetir o juramento de fidelidade e amor eterno que faria a sua mulher. Esta era a parte que Eduardo mais detestava, pois sabia que após uma briga ou traição, aquilo viraria um triste e dolorido divórcio.
Enquanto o padre pedia para a noiva também repetir o juramento, o jovem, para não ficar entediado, começou a olhar para os seus pés que, naquele instante, queriam disputar uma maratona só para poder sair dali. Em seguida, virou sua cabeça para o lado e viu sua amada família: seu pai, na ponta do banco, cochilava sem se importar com nada e nem com ninguém; ao lado do dorminhoco estava sua mãe que, emocionada com o casamento, limpava seus olhos lacrimejados com um lenço; como os dois estavam muito ocupados, seu irmãozinho incomodava um idoso, no banco da frente, chutando seu calcanhar.
O casamento, após intermináveis minutos, chega ao fim. Como eram um família educada, resolvem ir até a porta da igreja para cumprimentar os noivos, apesar de frequentarem a casa do noivo pouquíssimas vezes. Por causa do grande número de convidados, somente Eduardo consegue felicitar a noiva com um abraço.
Depois de cumprimenta-los, eles entram no Corcel bege 69 e antes que algum temporal caia, seguem para a casa. Durante a volta, o motorista do carro tenta desesperadamente manter-se acordado ao volante. Isso, felizmente, foi possível, pois sua esposa falava sem parar, ao seu lado, sobre o casamento. Apesar de todo o falatório, o filho mais novo do casal dormia profundamente no banco de trás. Já Eduardo, tentando evitar as bobagens de sua mãe, aumentou o volume do celular no máximo. De fone de ouvido, ele escutava, naquele momento, o CD mais famoso do Nirvana – Nevermind.
Como moravam na cidade, a volta deles foi rápida e tranquila. Chegando em casa, o garoto foi direto para o quarto e querendo não ser incomodado por ninguém, fechou a porta. Em seguida, desconectou os fones do celular e os pôs dentro de uma das gavetas do criado-mudo.
Tentando ficar o mais confortável possível, retirou a roupa social negra que usava e antes de pendurá-la em um dos ganchos de trás da porta, pegou o celular de um dos bolsos da calça e o colocou em cima da cama.
No outro gancho estava sua roupa de dormir – camiseta preta surrada do ACDC e bermuda vermelha e branca quadriculada. Após pendurar a roupa social, retirou seu ‘pijama’ e o vestiu. Vestido para dormir, ele, depois de se jogar na cama, posta a seguinte frase no Facebook:
#maisumcasamentochato!


Nenhum comentário:

Postar um comentário