quarta-feira, 22 de julho de 2015

AGRADECIMENTO

Numa quinta-feira de tempo nublado, resolvi ir a pé para o trabalho, pois estava estressado com os problemas da semana para dirigir. Não era muito longe o caminho de casa até o escritório. Mas, depois de percorrer algumas ruas, parei em uma típica praça e me sentei num banco.
Lá, pensei nos problemas de casa – família, dinheiro, contas..., porém eles terminaram quando vi algo: um homem idoso, por barba por fazer, camisa surrada, calça empoeirada e de botinas, para repentinamente de caminhar e colocando dois sacos pesados no chão faz o sinal da cruz. Em seguida, olha para o nada e começa a sussurrar algo inaudívelmente. Tento acompanhar seu olhar, imaginando que alguma igreja se encontrava ali, pois os católicos seguiam esta liturgia. Mas não vejo nenhuma. Depois, ele pega as sacolas do chão e sai como se nada tivesse acontecido.
De início, aquele senhor completamente maluco. Entretanto, durante a semana, aquilo fica na minha mente o tempo inteiro. Por isso, resolvo voltar à mesma praça, torcendo para aquele atípico senhor esteja lá. Não demora muito e ele aparece. Espero-o fazer o que havia me deixado intrigado.
Após fazer o seu estranho ritual, me aproximo e o cumprimento:
- Boa tarde.
- Taaaaarde!
- Posso lhe perguntar uma coisa?
- Craro.
- Por que o senhor, do nada, para de caminhar e faz o sinal da cruz? Pelo que vejo, aqui não tem nenhuma igreja.
- Sim. Aqui num tem igreja memo. Mai como sei que DEUS tá em todo lugar. Agradeço por tudo.
- Como assim?
- Memo eu num teno dinhero, nem minha véia do meu lado e uma casona grande. Deus ainda me deu vida e isto é bom demais da conta – um sorriso de satisfação aparece no rosto do homem.
Cumprimento o homem e depois de vê-lo ir embora, não reclamo mais de nada. Todos os dias, ao acordar, agradeço a DEUS por tudo que ELE me deu.


Nenhum comentário:

Postar um comentário