sábado, 26 de setembro de 2015

AVALIANDO COISAS - O LADO BOM DA VIDA (LIVRO)

O LADO BOM DA VIDA
Matthew Quick
2008

SINOPSE: Pat Peoples, um ex-professor na casa dos trinta anos, narra sua recém-saída de uma instituição psiquiátrica em Maryland. Convencido pelo médico e as enfermeiras do ‘lugar ruim’ que passou apenas alguns meses lá, ele não se lembra de qual foi o motivo que o fez ir para lá. Sabe apenas que Nikki, sua esposa, quis que ficassem uns “tempo separados”. Tentando recompor sua memória, agora repleta de lapsos, Pat começa a montar o filme de sua nova vida, mesmo que a realidade não seja tão promissora. Com seu pai se recusando a falar com ele, apenas quando os Eagles – time de futebol americano do mesmo – vencem; sua esposa negando revê-lo veemente; sua mãe e amigos escondendo coisas e evitando comentar o que aconteceu antes da internação. Pat, agora viciado em constantes exercícios físicos feitos na academia do porão e intermináveis, está tentando, com a ajuda de Tiffany – a moça que o segue nas corridas, e Cliff – seu terapeuta indiano, a reorganizar as coisas e reconquistar sua mulher. Abominando pessoas negativas, pois acredita em finais felizes e no lado bom da vida.
OPINIÃO: O livro tem uma premissa ótima, porém, para os mesmos que assistiram ao filme de 2012 antes, a comparação de início entre os dois é inevitável em alguns capítulos. Embora não afete em nada a continuação da leitura, pois com o passar das páginas, a história se torna instigante. Isso também vale para aqueles que não têm gosto por ler, pois os capítulos são pequenos. Alguns com descrições de cartas e um têm curtos resumos, como num filme, de momentos do narrador-personagem – ideia metafórica muito criativa do escritor. O vocabulário é de fácil entendimento, por este motivo, não a necessidade do dicionário. Os personagens, até os nãos orais, como Tiffany, são muito bem desenvolvidos de acordo com o enredo. E, mesmo com pouca descrição, os cenários fazem o leitor imaginar onde Pat e outros personagens estão. Até a constante inclusão do futebol americano, esporte não praticado no Brasil, nada afeta no gosto de quem lê o livro. A única ressalva são os parágrafos enormes, finalizados ou não, por ponto-e-vírgulas, isso dificulta a compreensão de alguns parágrafos.      

NOTA: 9,5

Nenhum comentário:

Postar um comentário