sexta-feira, 11 de março de 2016

HOMENAGEM: NATHÁLIA BARBOSA

Quando comecei a escrever poemas, escrevia aqueles que dedicava para uma pessoa específica. Aqui neste blog, já postei um que fiz para minha prima. Mas nos primórdios das redes sociais, especificamente no Orkut, "conheci" uma menina bonita, super simpática e que tinha feições de índia. Por isso, escrevi este poema em homenagem a ela. Hoje, por conta dos compromissos de ambos, falamos com pouca frequência, mas quero que ela saiba que ainda gosto muito dela e a considero como amiga. Tanto que a sessão HOMENAGEM deste post vai para NATHÁLIA BARBOSA.

ÍNDIA-MENINA


Para o Rio Grande do Norte,
Nunca pude ver,
Mesmo assim, tive a sorte
De uma menina conhecer.

Ela tinha uma expressão juvenil
Com uma beleza fenomenal.
Também uma alegria nota mil
E uma simpatia sem igual.

Uns dizem parecer japonesa.
Mas para mim,
Com certeza,
Ela parece uma das índias
Que veio ver, Cabral.
Nas ilhas,
Que sim,
Roubou-nos Portugal.

Mas sobre a índia-menina falaremos,
Ela das outras índias se diferenciou.
Tem a fé e a esperança que me admirou,
Por que estava triste e ela me aconselhou.

Tinha uma qualidade.
Mesmo nas decepções,
Ela buscava razões
Para se viver a felicidade.

Por isso, nesse singelo escrito.
Quero te dizer
E também muitas vezes escrever
O carinho que sinto
E dizer de toda a emoção:
- Te adoro, Natália, de todo o coração. 


Nenhum comentário:

Postar um comentário