terça-feira, 5 de abril de 2016

AVALIANDO COISAS - O LIVRO DO DESTINO

O Livro do Destino
Raphael Miguel
2016

SINOPSE: O que você faria se recebesse um artefato capaz de alterar o destino de pessoas ao seu redor, interferir no futuro e destruir realidades? O que faria se um instrumento de tamanho poder caísse em suas mãos? Praticaria o bem ou mal? Utilizaria para sanar as desgraças do Mundo ou para alcançar objetivos egoístas? Tentaria salvar àqueles ao seu lado, ou salvaria apenas a si mesmo? Eric Dias é um rapaz de recém-feitos dezessete anos. Pacato, ele vive uma vida tranquila, sem grandes preocupações.  No entanto, um presente inusitado pode alterar para sempre seu destino e de todos ao seu redor. O que o rapaz fará com tal responsabilidade sobre seus jovens ombros? 
OPINIÃO: No livro conhecemos a história de Eric Dias, um garoto pacato e apegado ao avô. O autor emociona o leitor logo nas primeiras páginas do livro, Eric sofre com o falecimento de seu avô, Regis, a quem era muito próximo e nós sofremos com ele. Aos poucos conhecemos sua família: o irmão mais velho, a mãe e um primo distante do falecido Regis, bem como o advogado responsável pelo testamento e o melhor amigo do protagonista. O evento chave para o desenrolar da história é a herança que Regis deixa para o neto mais novo, algo inicialmente sem utilidade alguma, porém, poderoso e que não pode cair em mãos erradas, pois seria capaz de mudar o destino da humanidade. Eric de repente se vê com uma responsabilidade enorme e precisa decidir entre os desejos egoístas do homem ou um bem maior. Ele aprende a duras penas que não pode interferir em tudo e, mesmo não compreendendo completamente o que Nathaniel tenta explicar, o guardião de sua herança, aceita o que não pode explicar. O leitor se envolve tanto com a história que nem percebe o tempo passar, com a escrita simples, mas bem trabalhada e uma linguagem descontraída, o autor conecta os sentimentos do personagem aos de quem lê e é disso que uma história precisa para conquistar seu espaço. Nessa leitura, tive uma grande surpresa, tenho o hábito de ler histórias com sucessões de acontecimentos, daqueles que em determinado momento te obriga a pausar e repensar tudo o que aconteceu até aquele ponto, pois foram tantas aventuras, perigos, brigas, enfim, comecei a leitura com avidez e precisei desacelerar, não havia necessidade disso, tive tempo suficiente para assimilar cada acontecimento e compreendê-los sem qualquer dificuldade. Ao final da leitura, eu garanto ao leitor que o livro o fará refletir.

NOTA: 10

Por Amanda Maia Gomes

Nenhum comentário:

Postar um comentário